Alunos sem aula e Professores sem salários a 5 meses da Faculdade São Salvador
19/05/2020 23:37 em Novidades

Cerca de 50 professores vinculados à faculdade São Salvador interromperam as poucas atividades acadêmicas que vinham realizando com os alunos durante a pandemia. O motivo é o não recebimento de cinco meses de salários e a falta de estrutura para a realização de aulas remotas e continuidade do calendário acadêmico durante a suspensão das aulas presenciais. 

 

 

Os alunos, que reclamaram a não existência de aulas. Alguns professores, por conta própria e utilizando recursos individuais promoveram atividades pontuais, segundo os discentes.

 

Os professores falam das dificuldades que vem  enfrentando toda a comunidade estudantil e oco docente. 

 

“Os atrasos salariais sempre foram recorrentes. No último ano, quase que integralmente, recebemos os salários atrasados, com 30, 45 dias. Mas a partir de outubro os salários pararam de ser pagos. Temos outubro, janeiro, fevereiro, março e abril sem ser pagos.  Decidimos mais manter as aulas mais por respeito aos alunos. De certa forma, temos afinidade com os alunos, entendemos a posição social dos alunos que temos na instituição. Mas a situação foi ficando cada vez mais insustentável. Cinco meses é quase um semestre. Ficou insustentável”, disse. 

 

Professor do curso de direito, ele confirmou ainda a reclamação antes feitas pelos alunos, de que a instituição não organizou nenhum sistema padrão para a oferta das aulas durante a pandemia: “Durante a pandemia, eu e muitos outros professores continuamos dando aulas, nos adequamos a plataforma do Zoom, dando aula em áudio, compartilhando texto em PDF, se virando como era possível “, pontuou. Segundo ele, “o peso [da interrupção das aulas presenciais] todo foi sentido pelos professores. Usou a energia de sua casa, seus próprios equipamentos e a estrutura que já tinham. A faculdade não deu nenhuma estrutura e esse semestre 2020.1 ninguém recebeu um salário. Ficou muito fácil para a instituição. Ficou fechada, teve economia e transferiu todo esse prejuízo, esse custo para o professor, inclusive a responsabilidade por se movimentar pedagogicamente”. 

 

CANCELAMENTO DO SEMESTRE

O semestre 2020.1 da Faculdade São Salvador foi iniciado no dia 2 de março. Na prática, os estudantes tiveram menos de dias 15 dias letivos de aula.

 

 Temido por alunos, o cancelamento do período demonstra ser a realidade mais provável. 

 

“No meu caso, não cheguei a dar nem 30% do que foi programado para o semestre, não tenho mais condições de continuar lecionando sem, no mínimo, o pagamento de metade dos salários atrasados.  Ainda não dei a posição oficial para os alunos de que o semestre acabou porque ainda não tem essa posição oficial”, confessou um docente. 

 

Outro, em mensagem enviada a um grupo de alunos da área de saúde, afirmou que a direção da instituição “mandou um recado” pelos coordenadores de que não haverá pagamento dos salários caso não “provem as aulas dadas durante a pandemia”.  

 

“A gente não vai provar nada. O que eles estão devendo é o passado. Em época de pandemia, nós temos tudo gravado. Não é justo a gente trabalhar sem receber”. E a mensagem segue: “Infelizmente, estou muito sentida de falar isso para vocês. Condicionaram isso e não temos mais condições de continuar com as aulas. Vocês vão ficar com o semestre perdido, não vão poder se formar. Os rumores é que a faculdade está falindo”.  

 

A estimativa, segundo fontes, é de que o débito da faculdade individualmente com cada professor, a depender da quantidade de disciplinas ofertadas pelo docente, pode ultrapassar R$ 10 mil. 

 

“Além dos salários atrasados, a instituição nunca recolheu o FGTS e nunca repassou os descontos de 11% do INSS. Não é feito o repasse à Previdência”, denunciou um dos professores.

 

FALTA DE DIÁLOGO

Outra dificuldade enfrentada pelos docentes da instituição e que, por consequência, tem afetado aos alunos e à qualidade do ensino ofertado no período da pandemia é a dificuldade de um diálogo efetivo com a São Salvador, problema enfrentado por estudante e professores. 

 

“Os professores nunca tiveram nenhum contato formal com a direção da faculdade. Eles se utilizam dos coordenadores para servir de barreira. Fui contratado pela coordenadora. Eu e muitos colegas nunca vimos a direção da faculdade. Nosso contato é com a coordenação ou com a funcionária do RH”, enfatizou o docente. 

 

E acrescentou:  “Fizeram planos mirabolantes para pagamento e nunca cumpriram. Pagar o mês de outubro parcelado em seis vezes, pagar agora dia 15 de maio o salário de janeiro, e nada foi cumprido. O professor não tem contato com a direção. Manda e-mail e não é respondido e a coordenação dá sempre a mesma informação: estamos aguardando”. 

 

A Faculdade São Salvador integra o Caelis Grupo Educacional, que responde, conforme site oficial, por outras 10 instituições privadas de ensino superior. São elas: Faculdade Santo Antônio; Faculdade São Tomaz, Faculdades Integradas de Sergipe – FISE; Faculdade Santo Antônio de Queimadas; Faculdade Autônoma do Brasil; Faculdade Cabo de Santo Agostinho; Faculdade Padre Cícero; Faculdade Padre Cícero; Faculdade Vale do São Francisco; Faculdade Santo Antônio de Itabuna e Faculdade Santo Antônio de Feira de Santana. 

 

A Faculdade São Salvador,  não deu nenhuma satisfação.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!